Rede de ONG’s da Mata Atlântica

A Mata Atlântica é um dos mais ricos e ameaçados biomas em todo o planeta. Hoje, restam apenas cerca de 7% de seus remanescentes originais em bom estágio de conservação, ao mesmo tempo em que mais de 100 milhões de brasileiros dependem de seus recursos. Nada mais natural, portanto, que exista um colegiado formado por entidades que atuam no local para a troca de experiências e união de esforços. As primeiras conversas sobre a Rede de ONG’s da Mata Atlântica aconteceram no Fórum de Organizações Não-Governamentais Brasileiras e Movimentos Sociais, durante a Rio 92.

Entre os seus principais esforços está o fortalecimento de ações locais e regionais pelo bioma. Para tanto, faz-se necessário focar no monitoramento e articulação de políticas públicas. Este é o ponto central de sua atuação, necessário para representar os anseios e expectativas da sociedade civil. As estratégias tomadas pela REDE são definidas no Conselho de Coordenação Nacional, cujos membros fazem parte integrante das entidades filiadas e se dividem entre as regiões Sul, Sudeste e Nordeste.

Entre os anos de 2008 e 2009 o ITPA foi um dos membros da Coordenação Nacional. A entidade também foi o elo da mesma no estado do Rio de Janeiro, exercendo a função de levantar os princípios, metas e diretrizes do grupo na região. A partir deste contexto, mobiliza organizações e se dispõe a prestar diferentes serviços, como divulgação de informações. Ao todo, mais de 300 entidades integram a Rede de Ong’s da Mata Atlântica. Hoje, o ITPA faz parte da rede e acredita que, para uma ONG conseguir alcançar resultados positivos em suas reivindicações nos âmbitos nacional e estadual, precisa trabalhar em rede. A Rede de ONG’s da Mata Atlântica é o espaço adequado e qualificado para esta militância.

Conheça mais aqui.