73 hectares restaurados para a Mata Atlântica

Em Junho de 2012 o ITPA iniciou a restauração florestal de mais 73 hectares no município de Miguel Pereira/RJ, formando um importante cordão florestal do Corredor de Biodiversidade Tinguá Bocaina (CBTB), uma das áreas mais importantes e degradadas da Mata Atlântica, bioma de fundamental importância para a biodiversidade e preservação dos serviços ambientais no país. As atividades seguem até meados de 2015 e é financiada pelo BNDES.

As áreas escolhidas para o projeto são oo Parque Municipal Rocha Negra, que agora tem 100% da sua área recuperada e a Fazenda Conceição,  ambas situadas nas serras de Miguel Pereira, cuja denagem verte para o Rio Santana, maio9r afluente natural do Rio Guandu. Entre as técnicas utilizadas pelo ITPA nesta restauração, as principais são: plantio total, condução de regeneração e enriquecimento florestal.

Plantio total

Recomendável para áreas desmatadas cobertas por pastagens ou, em alguns casos, herbáceas. É preciso, além do reflorestamento, atentar para a presença de ervas daninhas e fogo. O ITPA planta no sistema 2×3 metros, ou seja, cada árvore ocupa uma área total de seis metros quadrados.

Enriquecimento

Terrenos que, historicamente, foram desmatados, mas apresentam uma cobertura vegetal arbórea, arbustiva ou semi-arbustiva em crescimento natural. Aqui, as estratégias de isolamento e enriquecimento florestal são fundamentais, com o intuito de acelerar o processo de desenvolvimento das árvores. A capacidade de regeneração da Mata Atlântica, em seguida, terminará o trabalho.

Condução de Regeneração Natural

Em áreas nas quais o grau de regeneração natural seja bem alto e os processos ecológicos ainda estejam atuantes e capazes de se manter caso a degradação seja interrompida, é necessário apenas isolar o terreno dos fatores de risco (como fogo, gado, águas pluviais e etc) e aplicar posteriormente ações de manejo que aumentem as chances de autorregeneração – como capina seletiva ao redor dos indivíduos regenerantes com um raio mínimo de 0,60 m (técnica conhecida como “Controle de Competidores”) e adubação.